Automação de colarinho branco

A revolução industrial trouxe muitos benefícios para o chão de fábrica, foram máquinas (robôs) que aperfeiçoaram o fluxo da produção e trouxeram vários benefícios, isto revolucionou o desempenho e a forma de se executar as atividades pelos trabalhadores de colarinho azul!

O que Robotic Process Automation propõe agora é revolucionar as atividades dos trabalhadores de colarinho branco.

Bem, falamos de colarinho branco, azul, mas o que isso tem a ver com automação, então vamos recordar um pouco da história…

Trabalhadores de colarinho azul, ou em inglês “blue-collar workers” designa profissionais que geralmente utilizam uniformes (azuis?) e que trabalham em atividades manuais, que podem envolver ou não algum conhecimento mais especializado, em contraponto, os trabalhadores de colarinho branco, em inglês “white-collar workers” são profissionais mais qualificados, que geralmente ganham mais e que trabalham no escritório, em suas mesas e computadores.

O termo “white-collar worker” foi registrado pela primeira vez pelo escritor americano Upton Sinclair, aproximadamente em 1930.

Feita esta breve explicação, desejamos que fique claro que quaisquer atividades executadas pelo trabalhadores de colarinho branco, tem grande potencial de ser automatizada, assim como aconteceu no chão de fábrica durante a revolução industrial.

A nova revolução acontece dentro dos escritórios, no departamento contábil, recursos humanos, atendimento ao cliente e muitos outros.
Pare agora e imagine quais são as atividades repetitivas, que consomem seu tempo e que seria grande candidata à automação, tais como:

  • Classificação dos e-mails
  • Criação de usuários
  • Geração de relatórios
  • Leitura de informações em planilhas e digitação em algum sistema
  • Transcrição/integração de dados entre sistemas (copiar/colar)

Tudo que tem uma regra bem definida é passível de automação